Português Italian English Spanish

Pesquisas em bioinsumos e redução na emissão de gases poluentes estão no foco da Embrapa em 2022

Pesquisas em bioinsumos e redução na emissão de gases poluentes estão no foco da Embrapa em 2022


Trabalhos voltados em conter as mudanças climáticas e estudos na área de bioinsumos são prioridades para o próximo ano, diz presidente da Embrapa

Investindo em pesquisas de bioinsumos e em tecnologias para a redução de emissão de carbono e metano na agropecuária, a Embrapa viu 2021 como um ano positivo para o setor. A instituição também integrou a comitiva brasileira na Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP26), ocorrida em Glasgow, na Escócia, e acredita que o tema das mudanças climáticas estará na pauta permanente da agricultura mundial nos próximos anos.

A perspectiva da Embrapa sobre a participação do país na COP26 era de reposicionar a visão mundial em relação à agropecuária brasileira. O maior evento do clima aconteceu em um ano marcado por desafios ainda em decorrência da pandemia de coronavírus.

"O ano de 2021 foi realmente muito intenso, o agro não parou, a Embrapa não parou. Nós fizemos uma série de lançamentos marcados pelo nosso aniversário de 48 anos no mês de abril e tivemos uma participação bastante intensa na COP26, levando um BR que produz e preserva, mostrando para o mundo que é possível produzir e preservar com baixa emissão de carbono", destaca o presidente da Embrapa, Celso Moretti.

Durante a COP26, o brasil assumiu, junto a mais de 100 países, compromissos considerados ousados por boa parte do setor.

"O fim do desmatamento ilegal até 2030, e o acordo do metano, que é uma ambição global de reduzir em 30% as emissões de metano até 2030 com base nas emissões de 2020. É importante esclarecer que não é que o Brasil vai ter que reduzir 30% da sua emissão de metano, mas o país faz parte desse conjunto de 103 países que assinaram o acordo do metano e vamos participar dessa meta de redução. Nós temos um conjunto de tecnologia para apoiar esse trabalho da pecuária", enfatiza Moretti.

A Embrapa vem desenvolvendo tecnologias para o campo para contribuir com as metas globais. Uma delas, envolve diretamente as pastagens.

"Mais uma vez, a agropecuária movida pela ciência se antecipando a movimentos que vão ocorrer no mundo. Primeiro, ter pastagens forrageiras mais digeríveis pelos animais, se ela é mais facilmente digerível, você tem uma menor produção de metano por esses animais. Então esse é o primeiro pilar, melhoramento genético e vegetal".

Outro ponto em destaque é o melhoramento genético dos animais com abate antecipado de 48 para 36 meses, o que reduz em 25% a emissão de metano na pecuária pela diminuição de tempo do animal no pasto. Além disso, a empresa investe no desenvolvimento de pesquisa para o uso de aditivos na ração bovina.

"Nós estamos trabalhando com a variação do uso de tanino na alimentação dos animais. Estamos também avaliando óleos essenciais e, em parceria com o setor privado, alguns aditivos que também vão contribuir para a redução de metano. Em uma parceria com a universidade da Califórnia, estamos experimentando o uso de aditivo que é uma alga marinha que, em alguns casos, pode reduzir mais de 50% a emissão de metano e nós já começamos esses estudos", aponta o presidente da Embrapa.

O investimento em pesquisas que auxiliem o agro na preservação ambiental continuará no foco da instituição para 2022.

"Nós temos duas grandes apostas: trabalhos voltados a adaptação e mitigação e de mudanças climáticas e na área de bioinsumos, biofertilizantes e biopesticidas", finaliza Celso Moretti.

Fonte: AGÊNCIA UDOP

Portal do Agronegócio 14/01/2022

 

Booked.net
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sinop
Quarta-Feira, 29
booked.net
 
+30
°
C
+31°
+23°
Alta Floresta
Quarta-Feira, 29

 

Booked.net - book your hotel here
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sorriso
Quarta-Feira, 29
Booked
 
+25
°
C
+28°
+22°
Lucas do Rio Verde
Quarta-Feira, 29

 

booked.net
 
+25
°
C
+25°
+19°
Mutum
Quarta-Feira, 29

 

Saiba mais: https://www.cepea.esalq.usp.br/br