Português (Brasil)

Aplicação de calcário dobra quantidade de cabeça por hectare

Aplicação de calcário dobra quantidade de cabeça por hectare

Substância começa a ser absorvida pelo solo 90 dias após aplicação e efeitos mais amplos ocorrem após um ano

Compartilhe este conteúdo:

Corrigir a acidez do solo. Esta é a principal função do calcário que consegue modificar a performance da propriedade com um custo relativamente baixo se levados em consideração os benefícios do mineral. Isso porque, em média um ano após a utilização, o pasto consegue dobrar a quantidade de cabeça por hectare de uma para duas.

Engenheiro agrônomo e mestre em Zootecnia, Luiz Antônio Monteiro, explica que a quantidade de calcário a ser utilizada depende de uma análise do solo. O importante é que seja suficiente para neutralizar o alumínio e elevar a saturação de base do solo acima de 60%, considerada boa para pastagem.

“Quando o calcário começa a fazer o efeito desejado temos condição de elevar a lotação animal do pasto. Sem dúvida, um ano depois, conseguimos pelo menos dobrar a quantidade de cabeça por hectare de uma para duas. O custo é de 10 meses a um ano de aluguel de pasto por animal”, explica o engenheiro que também é diretor-técnico da Nutroeste.

O especialista acrescenta também que o calcário permite que se faça a aplicação de outros elementos minerais como fósforo, potássio e nitrogênio que são extremamente importantes para a produtividade do pasto.

Mercado atual na pecuária

O mercado do boi gordo está com preços enfraquecidos e há uma pressão atual de frigoríficos, principalmente no Centro-Oeste brasileiro que está com preços mais baixos. Para quem deseja comprar bezerros, entretanto, este é um bom momento. Segundo Monteiro, diante deste cenário atual, o pecuarista precisa encontrar meios de baixar o custo de produção. Aumentar a lotação do pasto, portanto, é uma destas alternativas.

O mestre em agronomia pontua que a maioria das pastagens da região já está bastante degradada porque não recebe nada em troca do que produz. “Temos pastos com 30 anos sem nunca ter recebido calcário. Se o produtor alugar um pasto assim, é um dinheiro que não terá retorno”, diz Monteiro.

Segundo ele, uma série de problemas pode ser eliminado após um ano de aplicação de calcário. “O pecuarista está diminuindo a área de pasto e sofrendo pressão da agricultura. Se ele está diminuindo, tem que melhorar o pasto para conseguir manter a quantidade de animais e o uso do calcário é uma excelente opção”, acrescenta Monteiro. 

Fonte: Assessoria de Imprensa Leydiane Alves

Portal do Agronegócio 16/02/2023

Compartilhe este conteúdo:

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 

 

Booked.net
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sinop
Quarta-Feira, 29
booked.net
 
+30
°
C
+31°
+23°
Alta Floresta
Quarta-Feira, 29

 

Booked.net - book your hotel here
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sorriso
Quarta-Feira, 29
Booked
 
+25
°
C
+28°
+22°
Lucas do Rio Verde
Quarta-Feira, 29

 

 

Saiba mais: https://www.cepea.esalq.usp.br/br