Português (Brasil)

Produção de etanol de milho deste ano deve passar de 46 milhões de toneladas em MT, estima setor

Produção de etanol de milho deste ano deve passar de 46 milhões de toneladas em MT, estima setor

A previsão desta safra é de que seja quase 6% maior, quando comparada com a do ano passado

Compartilhe este conteúdo:

A produção de etanol de milho deste ano deve passar de 46 milhões de toneladas, de acordo com estimativa do presidente da União Nacional do Etanol de Milho (Unem), Guilherme Nolasco. A previsão desta safra é de que seja quase 6% maior, quando comparada com a do ano passado.

O setor ainda estima que cerca de 20% de etanol de milho colhido nas lavouras se transforme em biocombustível. Desde que as usinas de etanol se instalaram no estado, os produtores da região passaram a investir cada vez mais neste tipo de cultura.

"Em 2017, se plantava 40% da área de soja e cultivava milho. Em 2022, foi mais de 60%. Então, houve um crescimento mais de 50% da área cultivada de segunda safra. O etanol com certeza contribuiu para que esse novo ciclo de investimentos e produção se desse em Mato Grosso", afirmou.

Com a chegada das usinas de etanol de milho no estado, o preço da saca do cereal ficou mais atrativo. A vantagem do produtor, que passou a investir mais depois das indústrias, foi o aumento da demanda pelo cereal. O que, consequentemente, fez subir e estabilizar o preço da saca no mercado.

"O que mudou foi a maneira de se lidar com o mercado. Com compras antecipadas, armazenamento e estocagem, com previsibilidade. Foi feito um rearranjo em todo o cenário de milho no estado e no país", afirmou.

Na última safra, o estado produziu mais de 4 bilhões de litros de etanol, cerca de 75% apenas de milho. Isso só foi possível graças ao aumento da produção no campo. Na safra passada, a produção de milho ultrapassou a de soja pela primeira vez na História. Foram mais de 44 milhões de toneladas do cereal.

Para o gerente industrial de uma usina em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, Antônio Pereira, o cenário é de otimismo. A empresa dele começou a operar em 2017 e, de lá para cá, a produção do biocombustível cresceu significativamente.

"A capacidade inicial nossa era em torno de 265 milhões de litros por ano. Ela teve uma expansão e duplicamos essa capacidade para 530 milhões de litros por ano. Com algumas automatizações e melhorias de performance, estamos conseguindo chegar nesse número", contou.

Uma segunda unidade da empresa dele fica no município vizinho, em Sorriso, no médio-norte do estado, e a expansão continua. A terceira indústria está em fase final de construção em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, e deve entrar em funcionamento no próximo mês, totalizando 2 bilhões de litros de etanol ao ano.

São produzidos o etanol anidro, que é usado como mistura na gasolina, e o etanol hidratado, que é o biocombustível pronto para abastecer os veículos. Tudo o que sai daqui, independente do tipo de biocombustível, abastece boa parte do Centro Sul do país.

Fonte: Agência UDOP de Notícias

Portal do Agronegócio 11/04/2023

Compartilhe este conteúdo:

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 

 

Booked.net
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sinop
Quarta-Feira, 29
booked.net
 
+30
°
C
+31°
+23°
Alta Floresta
Quarta-Feira, 29

 

Booked.net - book your hotel here
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sorriso
Quarta-Feira, 29
Booked
 
+25
°
C
+28°
+22°
Lucas do Rio Verde
Quarta-Feira, 29

 

 

Saiba mais: https://www.cepea.esalq.usp.br/br