Português (Brasil)

Produtores em Mato Grosso aderem ao uso de drones para a pulverização de lavouras

Produtores em Mato Grosso aderem ao uso de drones para a pulverização de lavouras

Utilização da tecnologia evita as perdas por amassamento e são mais ágeis e eficientes no controle de pragas e doenças

Compartilhe este conteúdo:

 

A cada dia a tecnologia está mais presente no campo. Nas lavouras mato-grossenses o uso de drones como aliado no serviço de pulverização já é uma realidade. Agricultores pontuam que, além de acabarem com as perdas por amassamento, os drones são mais ágeis e eficientes no controle de pragas e doenças.

A novidade que paira nas lavouras do estado é o tema desta semana do episódio nove do MT Sustentável.

Produtor no município de Cláudia, região norte de Mato Grosso, Erni Luiz Rodrigues possui 320 hectares de lavoura. Ele é o primeiro agricultor na região a adquirir um drone para os tratos culturais da soja e do milho.

“A tecnologia chegou pra gente. Não tem porque não buscar. Muitos parceiros falaram: pô Erni! O primeiro sempre sofre, padece um pouco, mas eu estou feliz”, diz Erni.

Busca por financiamento de drones é crescente

Conforme o gerente de negócios do Sicredi Celeiro MT/RR, Welinton Junior Duarte, a procura de orientações sobre recursos financeiros para a aquisição da tecnologia vem crescendo.

“A cada mês eu recebo duas ou três mensagens de produtores de outros municípios para saber como fez, como financiou. Eu digo para procurarem o gerente da sua cidade, o Sicredi da sua cidade, que vai orientar certinho. Mas, a procura aumentou bastante posteriormente ao seu Erni”.

 

Foto: Leandro Balbino/Canal Rural Mato Grosso

A tendência é de que a novidade se espalhe rápido. De acordo com o engenheiro agrônomo e instrutor de pilotos Igor da Silva Toniazzo, na empresa que trabalha e comercializa este tipo de equipamento somente no ano passado foram vendidos mais de 60 aparelhos para produtores rurais de Mato Grosso.

Toniazzo explica que mesmo em propriedades maiores, o drone tem se mostrado capaz e eficiente. “Por exemplo, em mil hectares, se você tiver dois drones T30, compensaria tranquilamente. O T30, hoje de trinta litros, que não é o lançamento, ele pode fazer até 15, 16 hectares hora. Então, um dia bem trabalhado você pode passar de 100 hectares fácil”.

Fácil manuseio e preço atrativo

Para operar o equipamento, são necessárias duas pessoas. Um piloto e um assistente que ajuda no reabastecimento e substituição de baterias. As manobras para aplicação são todas programadas por mapeamento via GPS e o drone executa automaticamente.

Foto: Leandro Balbino/Canal Rural Mato Grosso

Um dos pilotos na propriedade do seu Erni é o seu filho Felipe Rafael Rodrigues. “É o primeiro ano que estou fazendo com o drone. Agora vou começar a fazer a dessecação e vamos ver como vai ficar. Mas, até agora 100% aplicação”.

 

 

Outro atrativo do uso de drones nas lavouras é quanto ao preço do equipamento, que custa aproximadamente um terço do valor de pulverizadores tradicionais.

Na lista de vantagens da novidade vantagens ainda entra a diminuição no custo operacional e eficiência na aplicação: o vórtice criado pelas hélices permite que o produto atinja toda a planta e ainda evita o amassamento. O resultado é uma lavoura mais sustentável, com de produtividade e redução de custos.

 

Foto: Leandro Balbino/Canal Rural Mato Grosso

“Fizemos um cálculo de amassamento e hoje a gente consegue uma faixa de 3% de incremento na produtividade só na questão do amassamento. Se imaginarmos uma produção de 70 sacas por hectare, que a gente vem atingindo aqui, isso vai dar uma média de duas sacas em meia por hectare. Só aí se paga o equipamento”, comenta o técnico em agricultura Ércules Lopes Morais, que há oito anos presta consultoria na fazenda do seu Erni.

Além das vantagens do uso de drones, seu Erni e Felipe contam ainda contam com outro apoio importante na propriedade. Através das câmeras instaladas no equipamento eles acompanham de cima o desenvolvimento da lavoura.

“Estou feliz. Conhecemos um bom tanto de lavoura e a gente viu que a produção é bem diferente das outras. Mais produtiva. Estamos esperando de 80 a 85 [sacas por hectare], até mais”, conta Erni.

canalrural.com.br 01/02/2023

Compartilhe este conteúdo:

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 

 

Booked.net
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sinop
Quarta-Feira, 29
booked.net
 
+30
°
C
+31°
+23°
Alta Floresta
Quarta-Feira, 29

 

Booked.net - book your hotel here
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sorriso
Quarta-Feira, 29
Booked
 
+25
°
C
+28°
+22°
Lucas do Rio Verde
Quarta-Feira, 29

 

 

Saiba mais: https://www.cepea.esalq.usp.br/br