Português (Brasil)

Tecnologia via satélite contribui para avanço do Agro em 2023

Tecnologia via satélite contribui para avanço do Agro em 2023

Prestes a ultrapassar os EUA na exportação de milho e aumentar sua participação no consumo de feijão no Japão, Brasil encontra aliado em tecnologia limpa e sustentável.

Compartilhe este conteúdo:

O agronegócio brasileiro vive momentos de expansão que trazem novos desafios. Pela primeira vez, o país pode ultrapassar os Estados Unidos na exportação de milho, aponta a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O único entrave: responder à demanda do comprador. 

Para isso, o produtor brasileiro precisa produzir safras não apenas numerosas, mas de qualidade e em acordo com a preservação do meio ambiente. Uma das alternativas para o incremento da produção flerta com a ficção científica, mas de ficção não tem nada. Localizada em Santo André, no ABC Paulista, a  Effatha Agro tem apostado na tecnologia sustentável, e utiliza frequências via satélite para promover o crescimento e a produtividade de diversas culturas, entre elas, o feijão e o milho.

A prática é fruto de mais de  20 anos de pesquisa. Com um sistema que permite gerar sequências de frequências específicas para aproximar ou afastar os átomos, o princípio se baseia em alterar e reorganizar a distância entre as menores partes dos nutrientes, tornando-os mais facilmente absorvíveis e metabolizáveis, o que resulta em uma planta com mais vigor, crescimento e produtividade. 

Ciência aplicada ao crescimento de safras

Os meses de fevereiro a maio são os principais  para o plantio da segunda safra de milho, a chamada safrinha, em todo o país. A previsão da Conab é de que sejam produzidas 94,9 milhões de toneladas, podendo chegar à marca de 50 milhões de toneladas exportadas, ante 48 milhões previstas pelos norte-americanos. 

Um novo mercado, com possibilidades e obstáculos, está se abrindo no Brasil. Na Fazenda Mandiocal, em Itambaracá (PR), o produtor Mario Jardim está atento ao futuro, e celebra o aumento da produção promovido pela tecnologia via satélite. “Colhemos 220 sacas por alqueire de milho na parte que não tinha tratamento. Na parte do tratamento Effatha colhemos 256 sacas”, relata Jardim.

Resultado semelhante ocorreu na Fazenda Figueira, também em Itambaracá (PR), do produtor Pedro Luiz Marzura. Segundo ele, houve um aumento significativo. “Colhi 280 sacas de milho por alqueire na testemunha e 320 sacas na área tratada. Trata-se de um ganho expressivo que fará toda a diferença na rentabilidade da minha lavoura”, afirma Marzura”

O futuro, hoje

Para Marcelo Leonessa, CEO da Effatha Technology, a sustentabilidade anda de mãos dadas com a produção, e a tecnologia chega para providenciar ambos.“A tecnologia EFFATHA é mais uma ferramenta que está à disposição dos agricultores para reduzir o impacto das variáveis que derrubam a produção e dificultam o dia a dia no campo, auxiliando na lavoura para produzir com maior sucesso e rentabilidade, sem abrir mão do cuidado com a terra, com o meio ambiente e com as pessoas, tanto os envolvidos na produção, quanto os consumidores”, finaliza Leonessa. 

Fonte: Assessoria de Imprensa Toledo do Brasil

Portal do Agronegócio 30/03/2023

Compartilhe este conteúdo:

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 

 

Booked.net
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sinop
Quarta-Feira, 29
booked.net
 
+30
°
C
+31°
+23°
Alta Floresta
Quarta-Feira, 29

 

Booked.net - book your hotel here
 
+25
°
C
+28°
+22°
Sorriso
Quarta-Feira, 29
Booked
 
+25
°
C
+28°
+22°
Lucas do Rio Verde
Quarta-Feira, 29

 

 

Saiba mais: https://www.cepea.esalq.usp.br/br